velhice · vida

Natureza desperta

Portrait of a woman – Pablo Picasso

Caem as folhas da sua primavera tardia; levantam voos os pássaros descoloridos com o tempo; acordaram do ninho seus desejos… E a manhã parecia gritar naquele silêncio. Nascia-se velha, tão quieta que era de impressionar quem a conhecesse deveras. Cheia de distrações alheias, nunca havia percebido a inquietude de si. Porém, agora que não tinha ninguém para cuidar – por ser uma psicóloga aposentada e por ser uma mulher sem filhos e sem marido – passava a reconhecer que ali dentro morava um ser único: morava ela mesma. Ela que nunca se entendia, que nunca se fez entender, mas que agora, afagando a relva verde dos pensamentos despertos, entendia que vivia. Passou a olhar para si.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s