amor

Amadora

 

Girl – Nina Reznichenko
Ela amava imensamente. Acordava sorrindo, porque o amor escapava pela sua garganta e esticava os músculos do seu rosto em uma bela risada. Andava como se penetrasse na terra um pouco do amor, que pelos poros dos seus pés, escapava. Deixava o vento assanhar seus cabelos para sentir um pouco do amor acumulado nos fios pretos se desprender e voar. O amor que ela possuía, de fato, não cabia mais dentro dela. Os espaços entre as vísceras já estavam ocupados; o sangue circulava com a dificuldade de quem tem um coração amante.
Mas não morria. Nem com todos os seus órgãos emperrados pelo amor, com seus neurônios embebedados pelo amor e seus brônquios afogados pelo amor… Não morria, exclusivamente por isso: por viver pelo amor. Todo o seu corpo era para, pelo e devido ao amor.
(autobiográfico e em homenagem a Cândido Sales Gomes)
Anúncios

4 comentários em “Amadora

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s