Sem categoria

Curiosidade de uma traída

Morning Light – Mary Jane Ansell
Recordou aquele dia…

Depois da discussão feia que teve, ela acalmou-se e refletiu por alguns minutos. Na sua frente, a figura do traidor permanecia imóvel e sem palavras, até mesmo porque era errado falar naquele momento e ele bem sabia disso. A traída, sem hesitar, sentenciou: permaneceria na mesma casa, com a mesma fechadura da porta, andaria nos mesmos lugares e não mudaria a rotina, pois não era ela quem devia fugir da situação. E iria aguardar por uma boa explicação dele durante o percorrer normal do resto da sua vida. Essa espera não seria por amor, piedade ou vontade de ouvir a voz rouca dele; era o desejo de saciar a curiosidade dela própria, do estigma que sua mente agora possuía em querer entender até onde vai a covardia e a falta de caráter de um ser humano.

Anúncios

Um comentário em “Curiosidade de uma traída

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s