sonho

Desfrute

Dance – Gustav Klimt

Sentiu o frio na barriga, mas ainda assim deixou-se levar. O corpo foi passando da vergonha à liberdade. Todo aquele tremor nas pernas, aqueles afagos do peito e a escuridão dos olhos fixamente fechados construíam um momento de excitação único. Segurava-se para não deixar um arrepio percorrer o corpo, pois denunciaria sua fraqueza e todo sua entrega. Sim, estava se entregando de corpo e alma. Decidira o desfrute. Esperava que cada pedaço seu fosse descascado e agraciado. Decidira o prazer… Até que… Ah, os pensamentos se esvaziaram e apertou com mais força os olhos: de longe, uma luz queria penetrar a escuridão acolhedora da sua mente; de longe, um calor queria percorrer sua pele. Mas o sentimento que agora inundava seu íntimo era de repulsa – não queria aquela luz e aquele calor… Queria mantê-los longe, queria permanecer naquele leve desfrute… Aaaah… “Acorde, Lolita! Já é tarde!”. Abriu os olhos para o quarto iluminado e sentiu o calor dos raios do sol no seu corpo. Sentiu o amargo da insaciedade na boca e amaldiçoou seus sonhos. Todos aqueles sonhos… Só por simplesmente ainda serem sonhos!

Anúncios

Um comentário em “Desfrute

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s