infância · tristeza

Olhar orfão

Bruno Amadio

“Por que é tão breve a alma?”, perguntaram-se aflitos os olhos do pequeno garoto quieto. Descia aquela caixa de madeira lustrada, sob música pausada e melancólica, na terra bem cuidada daquele lugar cheio de cimento, mármore. Era pequeno demais e, um tanto por isso e por sua falta de compreensão, não soube ouvir a pergunta de seus olhos; tampouco saberia responder. Um adulto que o encarava triste e preocupado teria percebido a irrefreável dúvida daqueles olhos infantis, porém, por ser adulto, não tinha mais a sensibilidade – motor que moveria a perspicácia do apelo do menino. E aquele dia triste, por falta de compreensão e sensibilidade, terminou mais uma vez vazio. Vazio daquilo que só os olhos do pequeno órfão souberam questionar.

Anúncios

4 comentários em “Olhar orfão

  1. Pensei que a alma fosse vasta (A vida é breve, a alma é vasta. Fernando Pessoa)… enfim; Para terminar a análise preciso saber de que autor é essa parte entre aspas e qual a interpretação.
    Bjo.YYBMF.

    Curtir

  2. O que está entre aspas fui eu quem escreveu, não é de nenhum autor não. A análise do Fernando Pessoa é boa, mas não é absoluta; é apenas um pensamento dele. De qualquer forma, não quis refutar pensamento de ninguém. Não é esse o meu objetivo nesse blog. Apenas escrevi usando “alma” e acho que nem por isso esteja errado.

    Obrigada pelas análises “YYBMF”.

    Curtir

  3. Calma Evilanne. Ainda não havia colocado minha análise. Na verdade desconfiei que o pensamento fosse seu, mas fui confundido pelo uso das aspas. Na verdade isto deixa o texto mais interessante por mostrar uma interpretação independente e melhor adaptável ao sentimento que domina o garoto. Mas, de maneira geral, o texto não é bom.
    1. Entendi o clima que você quis criar quando escreveu “sob música pausada e melancólica” (L. 2) e “vazio. Vazio. Vazio” (L. 8), mas não ficou legal;
    2. No trecho “motor que moveria a perspicácia do apelo do menino” (L. 6 e 7) você interpreta o texto pelo leitor;
    3. “Descia-se” (L. 2). Você lê bem mais do que eu e já deve ter visto escrito desta maneiira; mas, até onde sei, ninguém “desce a si mesmo”(descia-se), apenas desce (descia);
    4. Erro de concordância em “só os olhos do pequeno órfão soube questionar”. Saber não concorda com “órfão” mas com “os olhos”. Correto:”só os olhos do pequeno órfão souberam questionar”.

    Claro, meus comentários não são absolutos. Mas preciso saber se são oportunos, se estão te ajudando a melhorar, se prefere que eu deixe de fazê-los… enfim, seu feedback.

    Bjo. YYBMF.

    Curtir

  4. Eu estava calma quando postei o comentário anterior. Bem… diante de tantos erros, acho que não tenho muito o que corrigir para deixar o texto bom, tendo em vista que o texto realmente não é bom.
    Alguns erros corrigidos. Obrigada pelo comentário.
    E continue comentando, espero pelos próximos “erros de concordância” meus.

    Abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s