teatro

Entrou em cena

Teatro (Romeu e Julieta) – Tenini
Lá estava ele, e ela já previa sua fala, assim como também possuía um texto em mente. Ele começou; entonação sensitiva, olhos aguçados, movimentando-se quase pendularmente de uma perna a outra. Explicava-se. Na noite anterior, ela ficara sozinha. Na noite anterior, ela relembrou todas as outras noites anteriores que ficara sozinha, completamente a se sentir fora de cena. A imaginar cenas. Todas as manhãs, no entanto, lá estava ele a se explicar. Terminou. Ela parou, pensou como se não tivesse pensado tantas vezes antes. Depois de um profundo suspiro, dinamicamente entrou o corpo dela em movimento. Buscou a melhor expressão facial. Beijou-o no rosto e deixou claro, apenas com seu olhar teatralmente treinado: ela havia se cansado. “Acostumei-me sozinha. Desculpe, mas agora não há por quê estar acompanhada”. Deixou um simples sorriso surgir no canto da boca. Fez mais uma jogada cênica: parecia estar tudo bem. Ela, porém, sabia que estava tudo mal. Ele não sabia, nunca soube como estavam as coisas.
Ela pegou o roteiro e saiu do camarim. Tinha uma peça de teatro a comandar, menos trágica, menos real que esta, então, acabada.

2 comentários em “Entrou em cena

  1. Rsrsrs. Tento imaginar a quantidade e diversidade de ideias que devem se passar pela sua cabeça. É um texto muito bom. Problema de concordância em “como esteve as coisas” (L. 12). Correto: “como estavam as coisas”.
    Bjo. YYBMF.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s